Parece um destino estranho? Mas não é, o Cemitério da Recoleta é um dos mais importantes e visitados cemitérios do mundo, sua arquitetura é rica, fica num bairro tradicionalmente elitizado de Buenos Aires e tem muitas personalidades ilustres que ‘descansam’ entre os vários corredores que dividem o espaço em quadras.

São mais de 4.000 abóbadas e mausoléus de mármore, alguns com estátuas bem interessantes, anjos, arquitetura gótica e presença do estilo Art Deco que foi evidente no começo do séc. XIX quando o cemitério abriu suas portas, mais especificamente em 1822.

Cemitério da Recoleta em Buenos Aires

Fica no páteo atrás da Igreja Nuestra Señora del Pilar que é tida como Monumento Histórico Nacional. Fica na Praça Intendente Torcuato de Alvear no movimentado e sempre cheio de visitantes bairro da Recoleta na zona Norte da capital argentina.

O cemitério passou por duas grandes reformas (1881 e 2003) que estão registradas em pedras na entrada. Foi idealizado pelo esgenheiro e arquiteto francês Prosper Catelin que se inspirou no também famoso cemitério parisiense Pére Lachaise.

O túmulo mais visitado, e para muitos o único motivo para ir ao cemitério, é o de Eva Duarte de Perón, e esposa do líder Juan Domingo Perón, mais conhecida e carinhosamente chamada de Evita Perón.

Ela morreu em 1952 vítima de um câncer de útero bastante agressivo. Além de ser um ídolo para o povo argentino, depois de morta Evita ainda gerou histórias. Seu corpo foi embalsamado a pedido de seu marido para que o povo pudesse se despedir sem pressa.

Dois anos depois, Juan Perón perdeu o poder e os militares, com receio de que Evita se tornasse ainda mais idolatrada, resolveram levar seu corpo para ser enterrado na Itália com um nome falso.

Quando tudo se acalmou no país, o corpo de Evita foi trazido de volta à Buenos Aires quando foi então sepultado no mausoléu da família Duarte o Cemitério da Recoleta, onde está até hoje. Isso aconteceu em 1976. Finalmente a tão querida e ilustre figura pública teve seu descanso final.

Túmulo de Evita Perón

Túmulo de Evita Perón

Sempre tem muita gente em frente ao famoso túmulo que é na verdade bem simples quando comparado a muitos outros do tradicional cemitério. Pode-se passar facilmente e não perceber se não estiver prestando atenção. O que muitas vezes ajuda sua identificação é a quantidade de flores que os visitantes e fãs deixam na porta.

Muitas placas estão dispostas nas laterais da porta do mausoléu com mensagens homenageando a mulher que levou o povo argentino ao delírio em seus discursos junto ao seu marido.

Placa no túmulo de Evita Perón

Placa no túmulo de Evita Perón

Placa no túmulo de Evita Perón

Quando fomos visitar o cemitério, sabíamos que o túmulo de Evita não ficava logo na entrada, nos dirigimos ao balcão de registros que tem as quadras e números de todos os mausoléus. Localizamos e nos dirigimos direto para ele sem erro. O dela é no C-7, número 88.

Localização do túmulo de Evita Perón

Entrando no cemitério, já depois do hall principal, siga à esquerda e continue em frente. Mais adiante terão placas sinalizando o sentido para a quadra C.

Sinalização para o túmulo de Evita Perón

Quando fomos estava muito sol e não deu foi possível registrar o que estava escrito na placa, mas esse túmulo da esquerda ajuda a localizar a entrada do corredor

Cemitério da Recoleta em Buenos Aires

Caminhando na ida e na volta, não tem como não pararmos diante de algumas curiosidades que são bem peculiares e comentadas quando se fala do Cemitério da Recoleta.

Uma coisa que nos chamou muita atenção foi que vimos os caixões em muitos túmulos. Eles ficam visíveis, não sei como funciona isso, se os restos mortais estão dentro ou se foram transferidos e os caixões são meramente ‘ilustrativos’.

Fotografei alguns mas vou deixar aqui apenas um para mostrar como ficam, são imagens um tanto esquisitas…

Túmulo no cemitério da Recoleta

Repare o caixão dentro do mausoléu e nesse tem outro embaixo

E as curiosidades do lugar não param por aí. Há muitas histórias que podem perfeitamente ser chamadas de lendas que são bem conhecidas pelos argentinos e que são tema do tour guiado que pode ser feito diariamente às 15h. Não fizemos, mas dizem que é bem interessante. Esse tour é gratuito e sai da entrada principal.

Um dos túmulos também muito visitado e fotografado é o da jovem Liliana Crociati que morreu em 1970 aos 26 anos durante sua lua-de-mel na Áustria quando uma avalanche destruiu o quarto onde ela estava.

No mesmo dia em Buenos Aires, seu cachorro que se chamava Sabú também morreu. O corpo da jovem foi levado para a Argentina e foi sepultado junto com seu amigo fiel. Na frente do túmulo tem uma estátua dela em tamanho real com o cachorro do lado.

Túmulo de Liliana Crociati no cemitério da Recoleta

Outra história recheada de fatos interessantes é a de outra jovem, Eliza Brown, ela era filha do  Almirante Brown e estava noiva de um militar que lutava na Guerra da Cisplatina. O noivo morreu em combate, a desilusão dela foi tão grande que se atirou no Mar del Plata e morreu afogada.

Seus restos mortais estão guardados dentro de uma caixa de bronze que foi feita com o material de um dos canhões da embarcação onde o noivo dela morreu.

Túmulo de Eliza Brown no cemitério da Recoleta

O túmulo verde é o de Eliza Brown, veja a caixa de bronze atrás do vidro

Muita coisa curiosa concorda? Não é à toa que o Cemitério da Recoleta é tão visitado por turistas. Ainda há muitas outras lendas sobre alguns mortos que estão sepultados lá, essas são apenas umas que citamos.

19 presidentes argentinos, 2 ganhadores do Prêmio Nobel, escultores, artistas e escritores foram enterrados no Cemitério da Recoleta. É o local escolhido pelas famílias das celebridades há muito tempo, apesar de ficar numa região refinada e badalada da cidade.

Muitos bares, restaurantes, teatros e shoppings estão nos arredores, além de prédios residenciais, hotéis e um vasto comércio compõem o bairro.

Quando programar a visita ao Cemitério da Recoleta, aproveite para apreciar um pouco do bairro, pode sentar numa mesa dos vários restaurantes em frente à praça para uma refeição ou lanche ou até só tomar um delicioso sorvete de doce de leche numa das sorveterias.

⇒ Leia também Onde almoçar em Buenos Aires e Roteiro de 2 dias e meio em Buenos Aires

Cemitério da Recoleta em Buenos Aires